TCNICAS NARRATIVAS Prof Katiucha Orrico Especialista em Altas

TCNICAS NARRATIVAS Prof Katiucha Orrico Especialista em Altas

TCNICAS NARRATIVAS Prof Katiucha Orrico Especialista em Altas Habilidades/ Superdotao e Contadora de Histria em Formao Conto Joo, Pedro e Jos Por Katiucha Orrico EXPECTATIVAS DO LEITOR Quando a leitura ficcional e potica representa

atendimento ao gosto imediato do leitor, ela desencadeia o processo de identificao do sujeito com os elementos da realidade representada, gerando prazer. Por outro lado, quando rompe de modo incisivo com as expectativas do sujeito, d origem necessariamente ao dilogo e ao consequente questionamento das propostas inovadoras ali contidas, alargando o horizonte cultural do leitor. O dividendo final novamente o prazer da leitura, agora por outra via, a da apropriao de um mundo inesperado. (Vera Teixeira de Aguiar e Alice

urea Penteado Martha) A FORMAO DO LEITOR PASSA POR ETAPAS: A) Pr Leitor - 1 a 3 anos Leitura de imagens / Ouvir histrias rpidas curtas Livros pano, plstico/ Histrias de bichos, brinquedos B) Pr Leitor - 3 a 6 anos Desenvolvimento da Linguagem Oral Relao entre imagens e palavras Fantoches e Msica

C) Leitor Iniciante - 6 a 7 anos Leitura Silbica / lustrao Imagina-se personagem e vive um mundo imaginrio No associa o que lido com a totalidade do texto / Narrativa com incio, meio e fim D) Leitor em Processo - 8 a 9 anos Domnio da Leitura Presena de imagens em dilogo com o texto Linguagem mais elaborada

E) Leitor Fluente - (10 a 11 anos) Domnio total da Leitura F) Leitor Crtico Desenvolvimento do pensamento reflexivo Faces de um contador

Contar contos de tradio s com a palavra; Contar utilizando objetos diretos; Contar utilizando objetos indiretos; Teatro vivo; Contar com instrumentos musicais; Vdeo Ana Luisa Lacombe Processo criativo do contador 1 passo: observar o meu processo criador; 2 passo: observao aplicada: o que vivencio? Os 05 sentidos: msica, palavras,

sons, gosto, toque... 3 passo: entender qual o seu canal de percepo: auditivo, visual, cinestsico... Teste do carro..... Folha COMPETNCIAS REQUERIDAS -Contao SABER, MUITO BEM, A HISTORIA E SUAS PARTES; CONTAR COM ENTONAO ADEQUADA; INTERPRETAR O QUE SE FALA; PARA CADA PERSONAGEM ASSUMIR UMA POSTURA E/OU GESTO OU VOZ

DIFERENCIADA. Histria de Lenga lenga A sopa supimpa A SOPA DE PEDRA Pedro Malasarte Conto tradicional portugus Estvo Marques *1 vdeo Por Katiucha Orrico Videos: *2 vdeo Sopa de Pedra Rede Brasil

*3 Ba de historias Passo a passo para a contao de histrias: 1 Faa uma seleo de ttulos que despertem em voc a vontade de pass-los. importante abrir o universo deles para diferentes narrativas, com temas como a vida e a morte, nossa origem e a humanidade, alm de mitos; 2 Para se familiarizar com a narrativa, treine contando para amigos e familiares (alunos); 3 Comece a narrar para grupos menores, enquanto voc conhece as suas possibilidades. Rena os ouvintes em roda para que eles se sintam prximos de voc.

4 Escolha recursos, como desenhos, bonecos, msicas e movimentos de dana, com os quais voc se sinta mais vontade. 5 Use elementos expressivos, como imitao de vozes e movimentos com as mos (estalar de dedos e palmas). Empregados na hora certa, eles fazem a diferena. 6 Imagine os detalhes de todas as cenas e descubra a melhor maneira de entoar cada trecho (sem se preocupar em decor-las). 7 Preste ateno em algum refro ou frase de impacto que pode ser repetidos sempre do mesmo jeito porque so bonitos ou soam bem. 8 Quanto mais a histria for contada, maior o nmero de novas imagens que so incorporadas a cada cena. Esta a peculiaridade da oralidade: cada um

recria o conto. 9 Projete a voz na sala e amplie os gestos para que o pblico no se disperse. Quando o enredo pedir um tom mais suave, todos entendero o recurso e faro silncio para ouvir. 10 Antes ou depois da narrao, conte de onde vem a histria: de um livro, de um filme, da mitologia grega ou se aconteceu com algum conhecido. Assim, a turma fica sabendo que tambm pode pass-la adiante. 11 Ignore as peraltices de alguns e conte a histria para o todo. Se alguma coisa que os bagunceiros fizerem permitir, vale incorpor-la performance, sem quebrar o clima da histria. 12 Contar histrias sempre envolve alguns imprevistos. O importante no ter medo. Geralmente, as crianas querem que a narrao prossiga. Ento, elas

vo ajudar voc. Gilka Girardello, professora da Universidade Federal de Santa Catarina, d orientaes a quem quer se tornar craque na contao de histrias. Estudando uma histria Leitura, vrias leituras; 1 O que te chamou ateno, 2 o que no chamou ateno, 3 local da histria (mapa da histria), 4 quem e como so os personagens (chuva de ideias), 5 os elementos (smbolos e sem ao), 6 tema enredo, 7 a linha da histria (cenas), 8 os

captulos, ttulos e subttulos (desenhos em 8 partes), 9 vivencia da histria (Teatro vivo, passando por todos os personagens). Leitura, vrias leituras;

Identificando as personagens e narrador; Identificando o local; Gravando sua histria; Fazendo o mapa; Teatro vivo ( com alunos); Historia pequena, conhecida Vdeo:

CONTO DE ORIX UMA ATIVIDADE APLICADA Passei o vdeo; Cada criana sentiu a histria e fez um painel com o que ficou da histria; Depois juntamos os painis e montamos um painel da histria; Ao final cada criana sabia os caminhos da histria. Pode se pedir tambm um teatro Vivo, o Mapa da

Histria, a linha da Histria... MAPA DA HISTRIA A SOPA SUPIMPA! Referncias de Contadores

Ana Luisa Lacombe, Catherine Zarcate, Csar "El Wayqui" Villegas Estvo Marques, Hassane Kouyat, Madalena Monteiro, Nicia Grillo, Regina Machado...

Sites interessantes http://alunotalentosonoespiritosanto.blogspot.com.br

casadainfancia.spaceblog.com.br escolaoficinaludica.com.br ciberpoesia.com.br alzirazulmira.com.br kikihamann.com.br jangadadobrasil.com.br dobrasdaleitura.com.br saladeliteraturainfantil.blogspot.com meninomaluquinho.com.br

Recently Viewed Presentations